Capes inicia a Avaliação Trienal 2013 no dia 30 de setembro

postado em 27 de set de 2013 12:38 por Diretoria de Avaliação   [ 27 de set de 2013 12:39 atualizado‎(s)‎ ]
Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Quinta, 26 de Setembro de 2013 16:34

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) inicia na próxima segunda-feira, 30, a avaliação de todos os cursos de pós-graduação stricto sensu autorizados a funcionar no Brasil.

No total, entre mestrados profissionais, mestrados acadêmicos e doutorados serão avaliados mais de 5.700 cursos de pós-graduação. A avaliação se refere às atividades dos anos de 2010, 2011 e 2012
e serão consideradas todas as informações prestadas pelos cursos neste período.

Os cursos são avaliados, em reuniões presenciais na Capes, por comissões de área, sendo no total 48 áreas de avaliação, distribuídas ao longo de 4 semanas no mês de outubro. Entre professores e pesquisadores participarão da avaliação 1.200 consultores vindos de todas as regiões do país.

Após a finalização das avaliações pelas comissões de área, os resultados serão objeto de análise pelo Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) em reuniões previstas para os dias 18 a 29 de novembro que deliberarão sobre os resultados finais, que deverão ser divulgados em 2 de dezembro.

Na solenidade de abertura, no dia 30, além do presidente da Capes, Jorge Almeida Guimarães, do diretor de Avaliação, Livio Amaral, estarão presentes os demais diretores da Capes e vários dirigentes e autoridades do Ministério da Educação (MEC), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Conselho Nacional de Educação (CNE), de comissões da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, reitores e pró-reitores.

Avaliação Trienal
A avaliação da pós-graduação stricto sensu, criada em 1976, atualmente é o mais importante instrumento para o Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) e para o fomento, tanto por parte das agências brasileiras, como dos organismos internacionais.

Na avaliação os cursos recebem notas entre 1 e 7. As notas 1 e 2 descredenciam os mesmos; nota 3 significa desempenho regular, atendendo aos padrões mínimo de qualidade; notas 4 e 5 significam um desempenho entre bom e muito bom, sendo 5 a nota máxima para os cursos só de mestrado. Notas 6 e 7 indicam desempenho equivalente a padrões internacionais de excelência.

A avaliação cumpre o papel de analisar detalhadamente o panorama e atividades da pós-graduação no Brasil e, assim, atestar a qualidade dos cursos. A avaliação produz estudos e indicadores para induzir políticas governamentais de apoio e crescimento da pós-graduação e estabelecer uma agenda para diminuir as assimetrias entre regiões do Brasil ou intra e inter áreas do conhecimento.

Os resultados da avaliação trazem, portanto, importantes subsídios para ações governamentais e de vários outros setores, visando o avanço científico, tecnológico e de inovação do país.